Páginas

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Não ao focar e enquadrar !

(Parte 2 e Parte 3)

Uma vez há muito tempo uma pessoa com responsabilidades dando uma formação sugeria que se fizesse a focagem primeiro e depois se enquadrasse a fotografia como desejado dentro de limites aceitáveis e quando necessário.

Na altura manifestei-me contra tal opção porque sabia que era errado fazê-lo. Tive de engolir o sapito para não arranjar bronca.

O tempo passou e o blog onde eu postava defendendo a minha posição desapareceu. A questão surgiu novamente numa conversa das reuniões informais.

Voltei então a fazer uma rapidíssima pesquisa pela web que confirmou aquilo que eu já sabia: Não se deve focar e enquadrar porque tal pode provocar focagens imprecisas.
O desenho que apresento é disso demonstrativo.
-
A linha verde (-)representa um plano vertical paralelo ao sensor e para o qual se encontra feita a focagem. Ao introduzirmos uma rotação na máquina - admitindo que não é tridimensional mas apenas e rigorosamente horizontal para facilidade de raciocínio - no sentido da seta o plano de focagem passa a ser o representado pela linha azul (-) ficando pois a nossa florinha (A) desfocada ou com uma focagem incorrecta/menos precisa porque está fora do plano de focagem.
Reparemos que o raio do arco de circulo representado a tracejado é a distancia a que a objectiva está focada. A diferença d é a diferença que corresponde ao desfoque.
Dir-me-ão que a diferença representada é irrelevante e que não se vai notar. Talvez. Depende da objectiva, do factor de conversão da máquina, do tamanho do sensor, que fica dentro da profundidade de campo, etc..
Mas lá que ela existe, existe. E que pode ter importancia, pode !


Logo, o que há a fazer ?
Focar sempre com o ponto de focagem no sítio onde se pretende que o foco fique preciso, exacto.
Se por acaso ainda duvida, nada como o Google (Inglês) (Português) para lhe responder. É claro que nas respostas há que distinguir entre o que é válido e o que não é.
A opção é sua.
(Continua aqui)

3 comentários:

  1. Tenho uma duvida!

    Premissas:
    - A lente é parte de uma esfera perfeita.
    - A focagem é função da distancia do centro dessa hipotética a esfera perfeita (sensor) até ponto de focagem.

    Quando reenquadro o ponto que anteriormente estava focado continuará a estar focado pois a distancia do sensor e do ponto não se alteraram. O ponto B esta a mesma distancia do pnto A relativamente ao sensor.

    Se a lente não for parte de uma esfera perfeita - e não é - então poderá acontecer que a distância do sensor ao ponto A e B sejam diferentes e nesse caso haverá uma desfocagem.

    concluindo: Concordo com a conclusão mas não com a argumentação.

    ResponderEliminar
  2. Amigo e Senhor Maurício Raleiras.
    Tens uma dúvida mas eu sou capaz de não saber esclarecer-te completamente. Podemos isso sim, trocar impressões sobre o assunto. Vejamos então.
    -
    Enquanto eu aceito que a lente é parte de uma esfera perfeita, seja ela concava convexa ou uma conjunção de ambas, já não tenho a certeza se a focagem é a função da distancia etc. como referes. Por estas razões e pela minha manifesta ignorancia na matéria passo adiante e limito-me a afirmar que uma objectiva é um conjunto de lentes pelo qual passa a luz com o objectivo de a projectar num plano.
    Parece-me que não me expliquei bem pois o que afirmas não parece ter lógica.

    De facto, quando se re-enquadra - e refiro-me agora ao esquema - a distancia sensor-rosa não é a mesma. Ou melhor, a distancia em termos métricos é a mesma mas encontra-se num plano diferente e isso sim, isso é que pode causar o desfoque.
    Já estou a perceber o que expliquei mal.
    Sendo isto apenas um esquema devemos pensar que a focagem se encontra apenas para todos os pontos contidos no plano vertical que acompanha o deslocamento da máquina. A distancia da rosa ao sensor na posição máquina rodada é a mesma métricamente (até está dentro do arco de circunferência) mas encontra-se fora do plano de focagem. Este era verde e passou a azul por facilidade de demonstração.
    Talvez seja mais fácil de perceber e insistindo no assunto: o plano vertical representado pelas linhas verde e azul acompanha a deslocação da máquina.
    Ocorre-me agora que não será exactamente um plano mas uma esfera que por facilidade de representação aqui passou a uma linha. E que até devería ser um arco. Pronto já estou a confundir tudo...
    Mas não. Não estou, Sería uma arco resultante da intersepção da esfera de focagem com um plano perpendicular ao eixo vertical do sensor.
    Podemos falar sobre isto numa das nossas reuniões das quintas-feiras.

    ResponderEliminar